terça-feira, 19 de outubro de 2010

Sobre o que eu não sei fazer (mas gostaria)

Eu não sei fazer poesia. Eu me esforço, me obrigo, me emputeço, mas a verdade é que eu não sei fazer poesia. A raiva então me consome. Como posso não conseguir escrever se quero te presentear com os mais belos versos que você possa ler? Versos flutuantes que brincariam livremente em seus pensamentos, tocariam seus ouvidos, seus nervos, sua espinha, sua alma e coração de uma forma que eu jamais poderia tocar... Tento então encontrar a resposta pra minha não-criação poética e só uma conclusão vem à minha mente: de forma alguma eu poderia escrever uma poesia pra você porque você é toda poesia que existe pra mim. Você é algo que levo comigo como os versos de Pessoa e Caio Fernando, gravados na cabeça e no coração. Poderia eu então escrever quaisquer palavras que fossem para o que já possui a beleza e a magnitude de todas as palavras que possam ser ditas?
Fico profundamente envergonhada e hesitante em lhe dizer, mas eu sou incapaz de te fazer uma poesia - no meu vocabulário você é toda a definição.

5 comentários:

  1. Poesia vai muito mais além de papel, de palavras e frases formadas.
    Ta no olhar, na forma de demonstrar algo em que acredita.
    Ta na vida.No dia vivido e nas decisões tomadas.

    Um simples oi pode se tornar uma das poesias mais bonitas.


    fico sensivel na primavera HAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
  2. Que linda! Bom, a poesia já saiu, né?

    E a poesia, se vive.

    Eu sou louca para escrever uma música, mas, não consigo =/ hehe

    Não fique tanto tempo sem escrever por aqui, ok?

    Um beijão, saudades.

    ResponderExcluir
  3. ooh , que romântico , hehe
    Muito lindo , de verdade .
    Eu falo pra ela escrever sempre , mas ela não me obedece , haha

    ResponderExcluir
  4. Uau, resolvi visitar e vejo que fui recebido com um excelente post, parabens!!

    ResponderExcluir
  5. hummm, que mocinha romântica ela é... toda essa poesia é pra mim? hahahah

    ResponderExcluir